sábado, 2 de novembro de 2019

Gestão Financeira


A gestão financeira nada mais é que o planejamento, organização, direção e controle das atividades financeiras de uma entidade, tais como as atividades de compras, investimentos e captação de recursos. É, portanto, a aplicação dos princípios da ciência da gestão/administração aos recursos financeiros de uma entidade.

A gestão financeira envolve, em síntese, três principais grupos de decisões:

  1. DECISÕES DE INVESTIMENTO: envolvem decisões sobre aplicação de recursos em ativos fixos (ativo não circulante), por meio do orçamento de capital; e investimentos em ativos circulantes, o que envolve a gestão do capital de giro.
  2. DECISÕES DE FINANCIAMENTO: são as decisões relativas à captação de recursos, o que pode envolver o capital próprio e o capital de terceiros. Essas decisões envolvem uma série de variáveis, como custo do dinheiro, riscos envolvidos, prazo de financiamento, retorno esperado, custo de oportunidade, dentre outras variáveis.
  3. DECISÃO DE DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS E RESULTADOS: envolve a distribuição do lucro líquido. Em geral, o lucro liquido é dividido em dois tipos:
  • Dividendos para os acionistas: o dividendo e a taxa de retorno dos acionistas devem ser decididos.
  • Lucros retidos: definição do montante do lucro liquido que deve ser retido pela empresa para atender ao planos de expansão e de diversificação de investimentos da empresa. 

OBJETIVOS DA GESTÃO FINANCEIRA

A gestão financeira se ocupa de decisões de financiamento, investimento e de distribuição de lucros e resultados. Nesse sentido, alguns objetivos podem ser elencados:

  1. Assegurar o funcionamento normal das atividades da empresa por meio da gestão eficiente de recursos financeiros. Isso envolve uma boa gestão do capital de giro, das contas a pagar e contas a receber.
  2. Maximizar o retorno financeiro dos acionistas. Isso envolve decisões acertadas acerca da capacidade de ganhos, preço de mercado da ação, retorno sobre o investimento, criação de valor e atendimento das expectativas dos acionistas.
  3. Assegurar a melhor e mais eficiente utilização dos recursos financeiros da empresa. O uso e consumo de recursos deve ser feito de forma racional e pelo menor custo possível.
  4. Garantir a segurança e rentabilidade dos investimentos realizados, que devem possuir taxa de retorno compatível com os riscos envolvidos.
  5. Planejar uma estrutura de capital sólida para que haja um custo de capital total mínimo, com equilíbrio financeiro e econômico da entidade, mas sem abrir mão das vantagens da alavancagem financeira. 
  6. Garantir que o retorno econômico das atividades operacionais seja superior ao custo total de capital da empresa, considerando, inclusive, o custo de oportunidade dos investimentos.

FUNÇÕES/ATIVIDADES FINANCEIRAS

Para garantir que a gestão financeira possa alcançar seus objetivos, as seguintes funções/atividades financeiras devem ser realizadas, no mínimo:

  1. Dimensionar adequadamente as necessidades de capital da empresa, o que envolve considerar custos e lucros esperados e o planejamento futuro. As estimativas devem ser feitas racionalmente, o que contribui para maximizar os ganhos financeiros da entidade. 
  2. Determinar a estrutura de capital ótima da empresa, considerando o risco x retorno e a análise da dívida no curto, médio e longo prazo. 
  3. Decisão de escolha das fontes de captação de recursos da empresa, tais como: emissão de debentures; empréstimos em bancos e outras instituições financeiras; emissão de títulos, dentre outros.
  4. Decisão de investimentos. Envolve a seleção e escolha de ativos rentáveis e seguros, com retorno compatível com os riscos envolvidos.
  5. Decisão de distribuição e lucros que possibilite a satisfação dos acionistas, mas sem comprometer a maximização do lucro operacional e dos projetos de longo prazo da empresa.
  6. Gestão do capital de giro. Essa é uma das principais atividades da gestão financeira e envolve a gestão do dinheiro no curto prazo. O fluxo de receitas e de despesas deve ser otimizado e as atividades operacionais da empresa devem ter o devido suporte da área financeira. 
  7. Controle financeiro. Tão importante como o planejamento e a execução é o controle financeiro. Ele deve permitir a avaliação da eficiência, lucratividade e custos da empresa. O controle auxilia a medir a eficiência dos processos, agir corretivamente quando os processos “saem dos trilhos” e melhor planejar as atividades da gestão financeira da entidade como um todo. 

0 comentários:

Postar um comentário