Metodologia

Estratégias

A base de nossa metodologia é colocar em primeiro lugar a estratégia. Há quatro visões distintas de estratégia: (1) estratégia como perspectiva, isto é, a missão, razão de uma empresa; (2) estratégia como posicionamento, ou seja, como a empresa se posiciona frete seus clientes e competidores; (3) estratégia como plano, isto é, como a estratégia será realizada; (4) estratégia como padrão de conduta, ou seja, observar as mudanças no ambiente, aprender com elas e melhorar a estratégia organizacional.


Metodologia de Gestão

ISO 9001

Abordagem por processos.

Para que sua empresa adote de uma abordagem de processo para o desenvolvimento, implementação e melhoria da eficácia, um sistema de gestão da qualidade é necessário aumentar a satisfação do cliente pelo atendimento aos seus requisitos.

Sua organização somente funcionará de maneira eficaz se ela determinar e gerenciar diversas atividades interligadas. Uma atividade ou conjunto de atividades que utiliza recursos deve ser gerenciada de forma a possibilitar a transformação de entradas em saídas. Freqüentemente a saída de um processo é a entrada para o processo seguinte.

A aplicação de um sistema de processos em uma organização, junto com a identificação das interações desses processos e sua gestão, contribui para produzir o resultado desejado e pode ser referenciada como “abordagem de processo”.

Uma vantagem da abordagem de processo é o controle contínuo sobre a ligação entre os processos individuais dentro do sistema de processos, bem como sua combinação e interação.

Quando usada em um sistema de gestão da qualidade, esta abordagem enfatiza a importância: (a) do entendimento e atendimento dos requisitos; (b) da necessidade de considerar os processos em termos de valor agregado; (c) da obtenção de resultados de desempenho e eficácia de processo; (d) da melhoria contínua de processos baseada em medições objetivas.


Melhoria contínua e resolução de problemas pelo PDCA

A melhoria contínua é embasada em um modelo japonês denominado KAIZEN, filosofia principal da qualidade total, isto é, a ideia de busca contínua de melhorias em tudo o que é feito em uma organização. Significa melhoria gradual e contínua de todos os serviços e produtos tornando-os eficientes, mais econômicos e mais confiáveis.

O PDCA é o modelo de referencia para planos de melhoramento continuo adotados em muitas organizações. O PDCA são as iniciais das palavras inglesas plan, do, check, e action, que significam planejar, fazer, verificar e agir (corretivamente).

As quatro partes do PDCA são descritas a seguir:

PLANEJAR: “Não existe nada (nenhum processo) que não possa ser melhorado”. Na fase de planejamento do ciclo escolhe-se um processo ou problema a ser sanado. O processo escolhido pode ser uma atividade, linha de montagem, um método etc. Desenhamos o projeto e o estudamos por meio de técnicas de administração da produção. Estabelecemos padrões de medidas e metas quantitativas e qualitativas a serem alcançadas. Desenvolvemos um plano de ação com parâmetros quantificáveis de acompanhamento.

FAZER: Depois do plano de ação definido, cabe fazer com que ele aconteça na prática. É importante colher dados e medidas (“quem não mede não gerencia” ) continuamente, e documentar as mudanças no processo. Uma boa estratégia é escolher, na fase anterior de planejamento, processos e problemas fáceis de resolver. O sucesso das primeiras ações serve de treino e incentivo a equipe responsável.

VERIFICAR: Nessa fase são verificados os resultados práticos da implementação do plano. Se existirem grandes distorções para alcançar os resultados, pode ser necessário retorno a primeira fase e alterar ou refazer o plano inicial. Caso os resultados obtidos sejam satisfatórios, em relação às metas estabelecidas, o programa deve prosseguir para a próxima fase.

AGIR (CORRETIVAMENTE): comprovada a eficácia do plano implantado e adotado, é necessário torná-lo padrão na empresa. O novo procedimento é documentado para garantir que sempre seja utilizado, a partir de então e até que uma nova melhoria o modifique. Esta fase garante que as mudanças que resultaram em melhorias sejam internalizadas nos processos produtivos adotados pela empresa. Caso as mudanças não alcancem os resultados esperados, esta etapa envolve o retorno à situação anterior.

O PDCA pode ser aplicado em todas as áreas funcionais da organização ( produção, recursos humanos, marketing, finanças, entre outras), nas quais podem ser identificadas as funções da administração: planejamento, organização, controle e direção.

O modelo de um sistema de gestão da qualidade, baseado em uma abordagem de processo, conforme figura abaixo.

ISO 9001

A imagem acima evidencia que os clientes desempenham um papel significativo na definição dos requisitos como entradas. O monitoramento da satisfação do cliente requer a avaliação de informações relativas à percepção do cliente sobre se a organização atendeu ou não seus requisitos.

ISO 14001

O que é ISO 14001?

A ISO 14001 foi desenvolvida para fornecer um sistema de gestão para ajudar as organizações a reduzir o seu impacto ambiental. A norma fornece o enquadramento para as organizações que demonstrem seu compromisso com o meio ambiente através de: (1) Redução dos efeitos nocivos sobre o meio ambiente; (2) Implantação da melhoria contínua da Gestão Ambiental.

A norma é genérica e se aplica a qualquer setor da indústria ou negócio específico. Ele fornece um quadro estratégico que pode ser usado para alcançar os objetivos internos e externos de gestão ambiental.

Sistema de Gestão Ambiental

Ao atingir a certificação ISO 14001, você será capaz de demonstrar claramente o seu compromisso com a redução de resíduos e reciclagem, onde apropriado. Os benefícios para a sua organização não será apenas na redução de custos, eles também podem ser benéficos ao concurso para novos negócios.

Devido à sua natureza genérica e aceitação universal, a norma ISO 14001 tem o potencial de afetar as práticas de gestão ambiental de praticamente todas as empresas de produção no mundo. Ela também pode ser usado por instituições de caridade, organizações de voluntários e associações comerciais. Qualquer organização, cujos produtos, ou serviços apresentem algum impacto sobre o meio ambiente precisam estar cientes da ISO 14001.

A ISO 14001 é a primeira norma genérica, reconhecida internacionalmente para a gestão ambiental.

Sistema de Gestão

Um sistema de gestão é uma estrutura comprovada para gerenciar e continuamente melhorar as políticas, procedimentos e processos de sua organização.

Os melhores negócios trabalham como unidades completas que compartilham a mesma visão. Isto pode incluir compartilhamento de informação, “benchmarking”, trabalho em equipe e trabalho de acordo com os mais elevados princípios de qualidade e meio ambiente.

Um sistema de gestão ajuda sua organização a atingir estas metas através de uma série de estratégias, incluindo otimização de processos, foco na gestão e pensamento disciplinado de gestão.

Por que os sistemas de gestão são importantes?



Os negócios que operam no século XXI enfrentam muitos desafios significativos, incluindo:

  • Lucratividade
  • Competitividade
  • Globalização
  • Velocidade de mudança
  • Adaptabilidade
  • Crescimento
  • Tecnologia
Equilibrar estes e outros requisitos do negócio pode ser um processo difícil e assustador. Aqui é onde os sistemas de gestão podem ajudar, desbloqueando o potencial de sua organização.

Implementar um sistema de gestão eficaz pode ajudá-lo a:
  • Gerenciar seus riscos sociais, ambientais e financeiros
  • Melhorar a eficácia operacional
  • Melhorar a satisfação dos clientes e stakeholders
  • Proteger sua marca e imagem
  • Conseguir melhorias contínuas
  • Promover a inovação
  • Remover as barreiras ao comércio
  • Deixar as regras claras no mercado
Ao usar um sistema de gestão comprovado você é capaz de renovar continuamente sua missão, estratégias, operações e níveis de serviço.


Sistemas de Informação


Tem como objetivo auxiliar gerentes em suas funções. Com o passar do tempo, este tipo de sistema acabou sendo usado por qualquer funcionário que tome decisões.

O objetivo de um SI é fornecer informações para a tomada de decisões, ou seja, são sistemas que fornecem relatórios. O usuário deve solicitar de alguma forma (escolha por menus, uso de comandos, etc) a informação que necessita, e o SI procura em seus registros tal informação e a apresenta da melhor maneira possível ao usuário. Esta maneira pode ser textual (relatórios descritivos), por planilhas ou de modo gráfico. Este último caso é o preferido pelos administradores pois oferece mais informações em menor espaço (“uma figura vale por mil palavras”). O gráfico por ser tipo “pizza”, em “barras” ou por “linhas”.



É importante que o relatório tenha o nível de detalhe adequado ao usuário: não pode ser muito detalhado ou extenso (senão o administrador terá que procurar a informação desejada), nem pode ser resumido demais (senão o relatório poderá omitir detalhes importantes para a tomada de decisão).

Os SIs aparecem nos 3 níveis da pirâmide administrativa (estratégico, tático e operacional), sempre que houver alguma decisão sendo tomada.

Fundação Nacional da Qualidade e o Prêmio Nacional da Qualidade

A FNQ  é uma entidade privada e sem fins lucrativos que foi criada em outubro de 1991 por representantes de 39 organizações brasileiras dos setores público e privado. Sua principal função era administrar o Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) e as atividades decorrentes do processo de premiação em todo o território nacional, bem como fazer a representação institucional externa do PNQ nos fóruns internacionais.

Prêmio Nacional da Qualidade

Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) é mm prêmio de valor que reconhece à excelência da gestão das organizações



A FNQ realiza, anualmente, o ciclo de avaliação do PNQ, que reconhece as organizações que praticam a Excelência em Gestão no Brasil.

Modelo De Excelência Da Gestão (MEG)

O Modelo de Excelência da Gestão® (MEG) é baseado  em 11 fundamentos e oito critérios. Como fundamentos podemos definir os pilares, a base teórica de uma boa gestão. Esses fundamentos são colocados em prática por meio dos oito critérios. São eles:

Fundamentos: pensamento sistêmico; aprendizado organizacional; cultura de inovação; liderança e constância de propósitos; orientação por processos e informações; visão de futuro; geração de valor; valorização de pessoas; conhecimento sobre o cliente e o mercado; desenvolvimento de parcerias e responsabilidade social.

Critérios: liderança; estratégias e planos; clientes; sociedade; informações e conhecimento; pessoas; processos e resultados.

Critérios

  1. Liderança: aborda os processos gerenciais relativos à orientação filosófica da organização e controle externo sobre sua direção; o engajamento, pelas lideranças, das pessoas e partes interessadas na sua causa; e o controle de resultados pela direção.
  2. Estratégias e planos:  este critério aborda os processos gerenciais relativos à concepção e à execução das estratégias, inclusive aqueles referentes ao estabelecimento de metas e à definição e ao acompanhamento de planos necessários para o êxito das estratégias.
  3. Clientes: aborda os processos gerenciais relativos ao tratamento de informações de clientes e mercado e à comunicação com o mercado e clientes atuais e potenciais.
  4. Sociedade: este critério aborda os processos gerenciais relativos ao respeito e tratamento das demandas da sociedade e do meio ambiente e ao desenvolvimento social das comunidades mais influenciadas pela organização.
  5. Informações e conhecimento: aborda os processos gerenciais relativos ao tratamento organizado da demanda por informações na organização e o desenvolvimento controlado dos ativos intangíveis geradores de diferenciais competitivos, especialmente os de conhecimento.
  6. Pessoas: aborda os processos gerenciais relativos à configuração de equipes de alto desempenho, e o desenvolvimento de competências das pessoas e à manutenção do seu bem-estar.
  7. Processos: aborda os processos gerenciais relativos aos processos principais do negócio e aos de apoio, tratando separadamente os relativos a fornecedores e os econômico-financeiros.
  8. Resultados: aborda os resultados da organização na forma de séries históricas e acompanhados de referenciais comparativos pertinentes, para avaliar o nível alcançado, e de níveis de desempenho associados aos principais requisitos de partes interessadas, para verificar o atendimento.

Gestão pela Qualidade Total

A gestão de uma organização, seja de manufatura ou de serviços, com ou sem fins lucrativos, do governo, social ou de família trata de duas coisas: as transações e os relacionamentos.


A Gestão pela Qualidade Total (GQT) significa criar, intencionalmente, uma cultura organizacional em que todas as transações são perfeitamente entendidas e corretamente realizadas e onde os relacionamentos entre funcionários, fornecedores e clientes são bem-sucedidos (Crosby, 1998).

Sob um ponto de vista mais amplo, a GQT não é apenas uma coleção de atividades, procedimentos e eventos. É baseada em uma política inabalável que requer o cumprimento de acordos com requisitos claros para as transações, educação e treinamento contínuos, atenção aos relacionamentos e envolvimento da gerência nas operações, seguindo a filosofia da melhoria contínua.                                                                                                              

Embora a qualidade sempre tenha sido adotada por uma questão de sobrevivência (Segunda Guerra Mundial, Japão do pós-guerra, Ocidente perdendo mercado para os produtos japoneses, etc) seus princípios e técnicas promovem melhorias tais que, atualmente, as empresas de maior sucesso, são aquelas que adotam as ferramentas de gestão da qualidade. A Gestão pela Qualidade Total - GQT - é uma abordagem abrangente que visa melhorar a competitividade, a eficácia e a flexibilidade de uma organização por meio de planejamento, organização e compreensão de cada atividade, envolvendo cada indivíduo em cada nível. É útil em todos os tipos de organização.